Campo Bom é destaque estadual em políticas públicas para a agricultura

IMG 0026

Plano de desenvolvimento rural do Município já foi tema de seminário da Famurs

O prefeito Luciano Orsi participou, nesta terça-feira (29), a convite da Famurs, do seminário anual dos secretários municipais de Agricultura do RS, em Estrela. Campo Bom já havia sido case do seminário de 2021, com mais de 200 participantes, como modelo de cidade que investe em políticas públicas para o desenvolvimento do setor. A criação de um ambiente favorável ao crescimento do agronegócio local permitiu que o Município se tornasse, por exemplo, o maior produtor de mudas de hortaliças do estado.

Nós temos um plano

Para o prefeito, é o planejamento consistente e elaborado com a ajuda dos agricultores locais o responsável pelos avanços no setor. O Plano Municipal de Desenvolvimento Rural (PMDR) é renovado a cada quatro anos, documento atualizado em 2022. “É o que nos dá diretrizes orçamentárias para os investimentos na agricultura, para a criação de políticas públicas, já que lá estão registrados os objetivos e demandas da categoria”, observa.

Por meio do plano, Campo Bom direcionou esforços para a reestruturação da Patrulha Agrícola, programa que atende às demandas de tratores dos produtores rurais, como o preparo do solo para plantio; instalação de um Escritório de Defesa Agropecuária (EDA) no município, evitando, assim, que os agricultores tenham que se deslocar até outras cidades para emitir documentos obrigatórios, como a Declaração Anual de Rebanho; a oferta de crédito rural; entre outros.

Prova de que o planejamento é eficaz é que a Famurs, nos últimos anos, tem oferecido apoio aos municípios gaúchos que queiram criar planos de desenvolvimento rural.

Mais de 50% das hortaliças do RS são de mudas produzidas aqui

Campo Bom é o principal produtor de mudas de hortaliças do RS, um dos maiores do Brasil, de acordo com a Emater. São 310 milhões de mudas por ano, segundo a instituição, e uma estimativa de cerca de 150 postos de trabalho diretos mantidos pela atividade econômica.

“O sistema abastece mais de 600 produtores rurais no estado, que, por sua vez, abastecem o consumidor final, o que significa que mais de 50% dos legumes que estão nas feiras e mercados gaúchos têm origem nas mudas produzidas aqui”, afirma Claudinei Baldissera, coordenador da Emater.

A merenda escolar também é daqui

Mais de 60% da verba aplicada por Campo Bom na compra de alimentos para a merenda escolar, por meio do Pnae, foi direcionada aos agricultores locais em 2022, mais de R$ 800 mil. A expectativa é de que no próximo ano o investimento alcance os 70%. “Quando a gestão iniciou, o Município cumpria o mínimo, 30%, agora mais do que dobrando o incentivo, o que é bom para os produtores, para as escolas e para o crescimento econômico local”, destaca Henrique Scholz, secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo.

A partir dos investimentos em políticas públicas para a agricultura, Campo Bom registrou a permanência de jovens no agronegócio nos últimos anos, através da sucessão familiar nos empreendimentos locais, aponta Claudinei. “Uma feira do agricultor já consolidada e a adesão ao Susaf, o que permite a inserção dos produtos campo-bonenses no mercado regional, ajudaram a criar um ambiente propício para o desenvolvimento rural”, conclui Henrique.

DSC04938

Foto: Divulgação/PMCB


Imprimir