Turno integral em escolas municipais de Campo Bom

Alunos da rede municipal tem a opção de ficar o dia todo na escola onde, além de estudar, podem brincar, participar de oficinas e receber quatro refeições diárias, entre os quais almoço com arroz, feijão, carnes e legumes. Novidade se inicia pelas escolas Princesa Isabel e Emílio Vetter e deve se estender para a rede


O dia todo na escola para estudar, brincar e se integrar. Com a intenção desocializar as crianças e adolescentes em um ambiente agradável e repleto de oportunidades, a Prefeitura implantou esse ano turno integral em duas escolas, um marco no ensino público de Campo Bom e que se  inicia pelas escolas municipais Princesa Isabel e Emílio Vetter, devendo se estender no próximo ano para outras unidades da rede municipal.  A partir da adesão do projeto, as crianças podem aproveitar o dia inteirinho na escola onde, além de estudarem, têm acesso a  oficinas como xadrez, música, informática, dança, psicomotricidade e reforço escolar. Quatro refeições, entre as quais almoço com variado cardápio é outro diferencial do programa. 

A proposta do Turno Integral surgiu através de algumas observações da Secretaria Municipal de Educação e Cultura (Smec), tais como aprimorar hábitos de estudo, de higiene, de convívio e alimentação saudável, como explica a titular da Secretaria, Eliane dos Reis. “Essa é uma ação que a comunidade solicitou e que consiste em desenvolver atitudes cidadãs, de criatividade, de construção do conhecimento e aprofundamento do conteúdo desenvolvido na proposta curricular. Além disso, a alimentação oferecida na escola integral deverá suprir a ausência de vitaminas, proteínas e o desenvolver hábitos de alimentação saudável”, salienta.

 

Investindo no Turno Integral – O projeto, que está em fase experimental, deverá ser expandido no ano de 2012, após análise que será feita pela Smec no final do ano. A secretária explica que essa fase é importante para analisar como foi a aceitação e os pontos que devem ser melhorados. “A proposta de turno integral chega em Campo Bom representando um marco na educação municipal. É uma evolução para um município como o nosso oferecer aos alunos da rede pública mais tempo na escola e mais aprendizado”, salienta.

para viablizar o programa os professores acompanham os alunos tanto na parte da manhã, no almoço e até o final da tarde. Para atender a demanda, foram contratados seis novos professores na Escola Emílio Vetter, em um investimento de mais de R$ 8 mil reais mensais. Na Escola Princesa Isabel cinco novos professores também integram a equipe de ministrantes das oficinas, totalizando um investimento de mais de R$ 7 mil reais mensais.        

Contribuindo ainda mais com o novo projeto, a obra que está sendo realizada no Princesa Isabel garantirá mais espaço para os alunos. O novo ginásio de esportes contará com uma estrutura de 530, 68 m² podendo servir como um local de realização das oficinas, em um investimento de mais de R$ 520 mil reais. A escola Emílio Vetter também recebeu recentemente investimentos como, por exemplo, praça externa, cama elásticas e novos brinquedos que também auxiliarão nas atividades.   

 

COMO FUNCIONA- O aluno chega na escola às 7h30min e retorna para casa às 16h, sendo que na parte da manhã as aulas são regulares e à tarde, ocorrem diversas oficinas diariamente. Por dia, os alunos participam de três oficinas diferentes, cada uma com duração de aproximadamente uma hora. Ao longo da semana, as atividades são diversificadas, fazendo com que os alunos participem de todas que estão sendo propostas. Xadrez, informática, música, dança reforço escolar e psicomotricidade, são algumas das aulas oferecidas pelas duas escolas.

Diariamente os alunos recebem uma alimentação balanceada, rica em proteínas eferro. A equipe de nutrição da Prefeitura preparou um cardápio especial para os alunos, levando em conta que passarão o dia todo na escola. Na parte da manhã, no ensino regular, o lanche é variado. Um dia é biscoito amanteigado, ou bolo, ou pão, ou sanduíche entre outras opções que agradam a todos os gostos. No almoço, sempre há  arroz, feijão, um tipo de carne, salada e sucos naturais, garantindo uma alimentação saudável. As frutas como banana, manga e maçã são os pratos principais do lanche da tarde de segunda a quinta-feira, sendo que na sexta-feira, para o contento dos alunos, a gelatina com creme de leite garante o sabor doce de sobremesa. Com a preocupação de cuidar integralmente da alimentação das crianças, a Prefeitura também dispensou a preocupação dos pais em preparar janta para seus filhos. Nas escolas de turno integral, ao final da tarde de cada dia, os alunos também recebem mais uma refeição, sendo cada dia uma opção. Sanduíche, polenta, bolo e massa com molho estão no cardápio da criançada.

 

Famílias e alunos comemoram a novidade - Na Escola Princesa Isabel, todos os 73 alunos aderiram ao Turno Integral, significando 100% de aceitação do novo projeto. “Essa é uma grande conquista para os alunos campo-bonenses. É um prazer continuar atendendo essas crianças e poder contribuir ainda mais no desenvolvimento escolar e intelectual de cada um”, conta a diretora da Princesa Isabel, Zoraia Ramm. O pequeno Anderson Marias, 9 anos, já participou de oficinas de dança e xadrez. “Foi muito legal dançar e é mais divertido ainda porque pude ficar o dia todo com meus colegas. Minha mãe disse que agora não vai ficar preocupada comigo porque sabe que eu estou na escola”, diz.

A família de cada aluno não ficará de fora do programa e poderá manter seu olhar cuidadoso também nas atividades desenvolvidas. Os pais poderão participar efetivamente de atividades culturais, sociais, esportivas e tecnológicas através de oficinas de informática e encontros com profissionais de cada área. A comerciária Adriana Deise Dias que tem seu filho Vinícius Dias, 9 anos, matriculado no Turno Integral da escola Emília Vetter, conta que ficou muito surpresa com a novidade. “Agora com esse novo horário e com essas atividades diferentes trabalho mais sossegada sabendo que ele está na escola se ocupando de forma saudável.Todos os dias meu filho chega em casa elogiando a comida e as oficinas. Ele adora as aulas de música”, diz.

Notícia postada em 23/03/2011

Pesquisar